RSS Feed

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

As vezes

Perambulando, os espaços vagos do meu quarto, procurando nas caixas fabricadas por mim, assoprando o pó, encontrei versos, crônicas, textos, besteiras, de quando vivia a escrever, e imaginar o mundo de flores e pássaros a cantar; vou postar alguns papeis do passado.

Às vezes penso em silêncio
Apenas por um longo momento
Em tudo que me fez cantar
Que me faz sonhar e viajar
E me desperta a emoção
No seu olhar, em meio à multidão.
Eu construo ilusão
Apenas por um momento
Imagino loucuras
Motivos de tentação
Às vezes me calo e choro
Para acalmar a solidão
Às vezes
Somente às vezes, sou o que sou.
Ou o que soa, mas só às vezes.
Em busca de emoção na distancia
Desperto pisando outra vez no chão.
Refugiando ao meu coração
Perdida de paixão
Às vezes sendo amiga
Compreendo meu coração
E outras vezes iludida.

8 comentários:

meus instantes e momentos disse...

gosto de voltar aqui...sempre
Maurizio

paula barros disse...

Um dia desses encontrei um caderninho também. É tão bom relermos.

Sempre muita emoção no que escreves.

abraços

(sugestão: já pensou em tirar essas letrinhas de verificaçaõ dos comentários?)

A filha única disse...

Tenho todos os textos do meu passado, de quando era mais motivada.
Volta e meia publico alguns no blog!
beijo! ;*

Julia 3MP disse...

somos iguais então, como eu sou do tempo das agendas (80's), to sempre dando uma olhadinha nelas, amo.

bjos

Joana disse...

Ah^^ muito obrigada pelos elogios...~
PS: assim como eu, vc tb vasculha as coisas encontrando antigas palavras que são geniais!
Adorei o poema^^
Até a proxima^^

Lidianne Andrade disse...

poema lindo!!
tu q fez??

Sedokao Morutaru disse...

Foi sim Lidianne.

sensacional né Joana :D
Julia julia rsrs

Jardineiro de Plantão disse...

Obrigado, pela visitinha que fez ao meu jardim... as plantas e os canteiros agradecem sempre que nos visitar.... espero por si mais vezes... eu virei assistir ao espectáculo que é a sua janela.


Abraços

Postar um comentário