RSS Feed

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Decifra-me ou delete-me






(...)




Como decifrar o que é um mistério?

Como decifrar o que é segredo?

Misterioso(a), sinistro, o teu arrepio.


Decifra-me! Se não te devoro

Corro, escapulo, não demoro

Pois decifrar não consigo

Já percebo, sinto de perto o perigo


Arrepio. Pulo, corro, fujo. Do pudor.

Como és misterioso (a). Quero saber do seu segredo,

e brincar no seu espanto.


Devoraando teu sabor (...) saboroso





3 comentários:

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse...

Haha. Mas na verdade, me acho velha às vezes. É que parece que depois dos 18 o tempo corre. E eu gostava tanto dos meus 17 anos. rs. Foi dificil aceitar o novo ano de vida, rs. Que coisa mais boba né. Hahaha.

Nossa, gostei da tua poesia.
O incrível processo de se tentar decifrar já empolga o bastante que nem precisamos descobrir que segredo, que mistério é esse.

E um pouco de mistério, sempre é bom!

Van.

Bertonie disse...

Oie, deixei um selinho pra ti.

beigos mil

Maria disse...

Um mistério nunca é decifrado, e aí está o que nos prende a ele ^^

Eu gosto de mistérios.

Beijos

Postar um comentário