RSS Feed

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Nem alfabetizada era.

Ela já tinha 7 anos, dizia que já estava na segunda série, e nem alfabetizada era, pensou que a escola era lugar pra brincar e pintar, pelo menos foi o que ela fez durante um bom tempo. Quando os professores depararam com tal situação e extrema dificuldade de aprendizagem, seus pais foram convocados, e ela foi analisada, pontos negativos e positivos, e então ela passou a estudar tempo integral, no horário matutino na instituição, durante a tarde e a noite em casa, com sua mãe, que pediu licença do serviço, para dedicar a sua filha. A culpa não foi dela e sim da escola onde ela estudou de 1996 a 1998, e só em 1998 que ela foi transferida, e a partir de então começou a estudar, no começo ela sofreu, pois as outras crianças riam e até estagiários a constrangia, por não saber ler, e nem escrever corretamente. Ao decorrer do primário, seus estudos foram esforçados, sua mãe disse, que ela teria que ser dedica, pois só os dedicados, chegam onde querem e tem disciplina, e assim ela seguiu, sendo elogiada com uma das primeiras alunas exemplares da sala de aula, tudo ela queria aprender, mas aprender corretamente, da forma certa, quando chegou a o ginásio, continuou levando o que sua mãe lhe passou, quando sentiu dificuldades, procurava a sua fonte de luta ( sua mãe) e quando sua mãe possuía o conhecimento, ela o passava, e quando não tinha respostas concretas ela ia a procura, nunca deixando sua filha sem uma resposta. Chegou ao ensino médio, ela não queria saber das notas, pois ai as coisas começam a complicar, mas sim dos seus conhecimentos adquiridos, e hoje ela luta com garra e persistência, nada e nem ninguém fará, a cair, esse ano ela termina o 2º grau do ensino médio, irá prestar vestibular para pedagogia, ela pensa no futuro das crianças e no futuro do seu sangue, que jamais em hipótese alguma será zoada, e/ ou motivo de piada, por suas dificuldades. Mas há a segunda opção se o vento correr contra seus objetivos, irá cursar Educação Física, pensando na vida e saúde das pessoas, trazendo lazer a cidade onde mora, investindo em projetos sociais. Quero agradecer a você mãe, fruto da minha disciplina, e determinação, obrigada por dedicar-se a minha vida, e por fazer parte dela, amor fraterno.

3 comentários:

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Só os dedicados, chegam onde querem e tem disciplina, confesso que adorei o exto, eu tenho um primo de 5 anos q tem o mesmo problema, porem a mae n mede esforços para trata-lo e esforça-lo.
Bjaum amor obrigado pela visita!

Aline Evelyn disse...

Sabe...
Só quem tem força de vontade chega aonde quer!
Não vê aonde o Lula tá?
hauhauahua
Mas...
Vim aki agradecer a visitinha no meu blog!
E dizer q adorei o teu!
Beijos

Capreta disse...

Larissa? Você já vai pra faculdade? :O
Olha esto ando muito sumida, to atolada de provas aqui, atolada de coisas pra estudar. Nem ta dando tempo de post e visitar os blogs amigos! Deculpa ok? ;*

Postar um comentário